As 7 lições de liderança do Papa Francisco

 

Muito além da religião, Francisco nos trouxe uma nova perspectiva de liderança, mostrando a cada dia com suas palavras e...

Leia mais...

Com pesar nos despedimos do Pe. Thomas Hughes que partiu para celebrar sua Páscoa definitiva junto de Deus. Cujo Deus incansavelmente andou por vários lugares anunciando e testemunhando o seu nome, de modo muito particular pelos seus ensinamentos bíblicos. Faleceu no dia 15 de maio de 2017, em Ponta Grossa (PR).

Pe. Tomaz Hughes, svd, é irlandês, religioso-missionário da Sociedade do Verbo Divino. Radicado no Brasil há 45 anos, atuava especialmente na formação bíblica nas bases e como assessor bíblico da CRB e do CEBI. Dedicava-se a cursos e retiros bíblicos em todo o país. Publicou diversos artigos em Convergência, Estudos Bíblicos e publicações da VRC e é autor do livro “Paulo de Tarso: Discípulo-Missionário de Jesus”.

Disse e escreveu Pe. Tomaz: "A memória não é suficiente. Pode até ser desmobilizadora. Precisa ser completada com a esperança".

 

A CRB Nacional, sua diretoria, a equipe Interdisciplinar e todos os religiosos e religiosas se solidarizam com a Congregação do Verbo Divino e com os familiares de Pe. Tomaz, com um profundo agradecimento a Deus pelo grande dom que este sacerdote foi para a Igreja e para o mundo.

Palavras da Presidente da CRB, Ir. Maria Inês Vieira Ribeiro, mad

Pe. Tomaz, desde que o conheci, possuia uma energia, uma vibração, um amor pela Igreja, pelos pobres e pela Palavra de Deus de causar "santa inveja".

Nunca vi o Pe. Tomaz desanimado e sem garra, fazendo toda sua parte para que o Reino acontecesse. Olha que o conheço desde 1981, quando trabalhei com ele na Diocese de Foz do Iguaçu, Paraná.

Vale lembrar o que diz o Frei Luis Susin, OFMCap: "O Pe. Tomaz foi da espécie que desdiz a teoria do pecado original...tinha os dons do paraíso intactos...aliou conhecimento e realismo com inocência e alegria! Que privilégio tê-lo conhecido ao menos um pouco nos últimos anos. Deus seja louvado pela sua existência".

A Equipe Interdisciplinar da CRB perdeu um membro especial! Agradecemos profundamente ao Pe. Thomaz que trouxe às nossas reflexões e decisões, o impulso do Espírito Santo, ajudando a perceber que Ele "está fazendo coisas novas! Vocês não estão vendo?'

Obrigada, Pe. Tomaz, por tudo o que você foi à VRC e à Igreja.

A Verbo Filmes produziu uma série de vídeos em 2015, em preparação à Assembleia Geral Eletiva da CRB Nacional,  Pe. Tomaz Hughes, svd, participou de um desse vídeos da série e escreveu este conteúdo:

 

ESTOU FAZENDO UMA COISA NOVA:

ELA ESTÁ BROTANDO AGORA, E NÃO PERCEBEM?

Qualquer análise da situação da VRC hoje, especialmente na sua forma da “vida apostólica”, aponta para um contexto de crise. No fundo é uma crise de identidade – “Quem somos e para que existimos?”

Até a viravolta causada pela renovação na Igreja, simbolizada pelo Concílio Vaticano II, os/as Religiosos/as pareciam seguros/as na sua identidade, baseada na “vocação à santidade”, “vocação missionária” e “obras caritativas”. A renovação Conciliar demonstrou que todo cristão é chamado à santidade, é missionário/a por natureza e fica muito claro que não preciso ser Religioso para trabalhar nas obras caritativas. Logo nasce a pergunta: “Se, para fazer o que faço, não precisa ser religioso/a, então por que sou?” A incapacidade de responder adequadamente a esta pergunta levou dezenas de milhares de religiosos/as a abandonar as suas comunidades e continua a perturbar muitos hoje.

Engana-se quem pensa que “crise” é necessariamente algo negativo. Na verdade, é oportunidade para descobrir os elementos da nossa vida que não funcionam mais e fazer as mudanças necessárias para que revitalizemos as nossas opções vitais. A crise atual nos conduz a refletir sobre o que são os elementos indispensáveis da nossa identidade. Em toda parte, se debruça sobre a questão do “núcleo identitário” da VRC – aquilo que nos dá consistência, sem o qual não pode existir uma VRC autêntica. Está mais do que claro que a Rida Religiosa Consagrada se fundamenta na experiência radical de Deus. A vida comunitária e a missão apostólica nascem de tal experiência e nutrem-na. A experiência de Deus lança o fundamento. A vida comunitária alimenta-se de tal experiência e a alimenta, e recarrega afetiva, psíquica e espiritualmente o religioso para a missão. Esta irradia as duas anteriores de tal modo que cada uma remete à outra. Esses três elementos são indispensáveis para uma VRC autêntica.

A História da Salvação demonstra que foi através de crises que o Projeto de Deus avançou. Precisamos refletir nas palavras de Deutero-Isaías que apresenta Deus falando com o seu povo, exilado, desanimado, aparentemente sem perspectivas: “Não fiquem lembrando o passado...vejam que estou fazendo uma coisa nova: ela está brotando agora, e vocês não percebem?” (Is 43, 18-19). Para enxergar a “coisa nova: que Deus fazia brotar, era necessário criar uma nova maneira de ver as coisas, ter novas lentes, entender que a “coisa nova” não é a antiga “renovada”, mas algo verdadeiramente novo, excitante, que brotava da ação do Espírito.

Esse tempo difícil para a VRC revelar-se-á como uma bênção e conduzirá a uma renovação, talvez de um jeito que não conseguimos antecipar. Para que isso aconteça, precisamos deixar de ser obsecados com a nossa sobrevivência e a das nossas obras e empreendimentos, revitalizar o tripé da Experiência de Deus, Vida Comunitária e Missão Profética, acreditar na “coisa nova” que Deus já faz brotar, e “o resto virá por acréscimo”.

Perguntas para aprofundamento:

1. Você sente mais otimismo ou pessimismo na sua Congregação/Comunidade? Quais as causas?
2. Que sinais percebe de “algo novo” que Deus está fazendo brotar na VRC hoje?
3. O que dificulta a nossa percepção da ação criadora de Deus na VRC atual?

 

Fonte: CRB Nacional

 

32ª Semana do Migrante

19-06-2017 Notícias da Igreja

De dia 18 a 25 de junho, a Igreja no Brasil celebra a 32ª Semana do Migrante, com o tema: “Migração, biomas e bem viver”. O objetivo da semana, segundo o bispo referencial da Pastoral dos Refugiados, dom José Luiz Ferreira Salles, é anunciar, denunciar, refletir e construir uma nova relação do ser humano com a Mãe Terra. “Sabemos que é...

Leia Mais

Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil

11-06-2017 Notícias da Igreja

Na segunda-feira, 12 de junho, foi o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, dia de reflexão e incentivo às praticas de combate ao trabalho infantil. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) quer combater o trabalho infantil em áreas de conflito e desastres.“Crianças entre os 11 e os 16 anos (por vezes até mais novas) são fechadas em plantações isoladas, onde...

Leia Mais

V Romaria da Juventude Verbita

10-06-2017 Notícias da congregação

Já começamos a todo vapor os trabalhos em preparação para a V Romaria da Juventude e Paróquias verbitas da Província Brasil Centro ao Santuário do Senhor Bom Jesus de Iguape.Celebraremos de maneira muito especial dois momentos marcantes na vida de todos os devotos, Missionários do verbo Divino e Missionários leigos, os 370 anos do achado da imagem do Bom Jesus...

Leia Mais