"Rico Insensato"

 

1ª Leitura: Ecl 1,2;2,21-23

     Leitura do Livro do Eclesiastes.
     'Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade.' Por exemplo: um homem que trabalhou com inteligência, competência e sucesso, vê-se obrigado a deixar tudo em herança a outro que em nada colaborou. Também isso é vaidade e grande desgraça. De fato, que resta ao homem de todos os trabalhos e preocupações que o desgastam debaixo do sol? Toda a sua vida é sofrimento, sua ocupação, um tormento. Nem mesmo de noite repousa o seu coração. Também isso é vaidade.
     Palavra do Senhor.
 
 
 Salmo Responsorial: Sl 89,3-4.5-6.12-13.14.17 (R.1)
 
     R. Vós fostes ó Senhor, um refúgio para nós.

     Vós fazeis voltar ao pó todo mortal,*
     Quando dizeis: 'Voltai ao pó, filhos de Adão!'
     Pois mil anos para vós são como ontem,*
     Qual vigília de uma noite que passou. R.

       Eles passam como o sono da manhã,*
       São iguais à erva verde pelos campos:
       De manhã ela floresce vicejante,*
       Mas à tarde é cortada e logo seca. R.

     Ensinai-nos a contar os nossos dias,*
     E dai ao nosso coração sabedoria!
     Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?
     Tende piedade e compaixão de vossos servos! R.

       Saciai-nos de manhã com vosso amor,*
       E exultaremos de alegria todo o dia!
       Que a bondade do Senhor e nosso Deus
       Repouse sobre nós e nos conduza!*
      
Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho. R.
 
2ª Leitura: Cl 3,1-5.9-11
 
     Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses.
     Irmãos: Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus; aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres. Pois vós morrestes, e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus. Quando Cristo, vossa vida, aparecer em seu triunfo, então vós aparecereis também com ele, revestidos de glória. Portanto, fazei morrer o que em vós pertence à terra: imoralidade, impureza, paixão, maus desejos e a cobiça, que é idolatria. Não mintais uns aos outros. Já vos despojastes do homem velho e da sua maneira de agir e vos revestistes do homem novo, que se renova segundo a imagem do seu Criador, em ordem ao conhecimento. Aí não se faz distinção entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, inculto, selvagem, escravo e livre, mas Cristo é tudo em todos.
     Palavra do Senhor.
 
EVANGELHO: Lc 121,13-21 - "E para quem ficará o que tu acumulaste?"
 
     + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas
     Naquele tempo: Alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: 'Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo.' Jesus respondeu: 'Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?' E disse-lhes: 'Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens.' E contou-lhes uma parábola: 'A terra de um homem rico deu uma grande colheita. Ele pensava consigo mesmo: 'O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita'. Então resolveu: 'Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. Então poderei dizer a mim mesmo: - Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!' Mas Deus lhe disse: 'Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?' Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus.'
      Palavra da Salvação.
 
 

Lucas 12,13-21 - “Tenham cuidado com qualquer tipo de ganância”
      Nesses versículos nos deparamos com um dos temas favoritos de Lucas - o combate à ganância, em todas as suas formas, especialmente dentro da comunidade dos discípulos de Jesus. A parábola de hoje só se encontra neste Evangelho, sublinhando assim o interesse de Lucas pelo assunto.  Ressoa com todas as letras a advertência de Jesus para os seus discípulos: “Atenção! Tenham cuidado com qualquer tipo de ganância” (v. 15b). Com certeza, a caminhada de mais ou menos cinquenta anos das comunidades cristãs, até a data do escrito de Lucas, tinha mostrado que os cristãos não eram isentos da tentação da acumulação de bens e do individualismo.

     Cumpre assinalar que o Evangelho não nega o valor nem a necessidade de bens materiais. Afinal, sem eles não seria possível ter uma vida digna e humana - o que Deus quer para todos os seus filhos e filhas. A luta não é contra os bens, mas contra a ganância, o egoísmo, a acumulação, a confiança no aumento dos bens como valor supremo das nossas vidas.Se foi importante fazer esta advertência há quase dois mil anos, quanto mais hoje, quando nós vivemos mergulhados em um mundo de consumismo e materialismo; quando se prega o “evangelho” da competitividade e acumulação; onde os profetas do projeto neo-liberal da exclusão entram todos os dias em nossos lares, através da televisão e da internet; onde a meta do sistema é concentrar cada vez mais bens nas mãos de uma elite privilegiada, excluindo, cada vez mais, pessoas que não podem competir. Até Deus e a religião se tornam bens rentáveis, com certos “pregadores do Evangelho”, auto-denominados de “Apóstolos” “Bispos” ou “Pastores” se enriquecendo escandalosamente às custas dos fiéis ingênuos e manipulados. A “Teologia da Prosperidade” está muito em voga em todas as Igrejas, desparecendo a figura de Jesus de Nazaré que “ não tinha onde deitar a cabeça!” Como nós cristãos vivemos mergulhados neste ambiente, acontece muitas vezes que, sem dar conta do fato, nós o assimilamos, como por osmose, diluindo o Evangelho da fraternidade e solidariedade, e reduzindo a prática religiosa ao âmbito individual e intimista, tirando dela a sua força transformadora. O rico da parábola muito bem poderia representar a ideologia do sistema vigente dos nossos dias. Chama a atenção o número de vezes que ele usa as palavras “eu”, “meu” “minha” - é um homem totalmente fechado no seu mundinho, fechado sobre si, sem sensibilidade diante dos sofrimentos e necessidades dos irmãos e irmãs. Jesus o chama de “louco” - não por ter o suficiente para viver bem, nem por alegrar-se com este fato mas por colocar o sentido da sua vida na acumulação de riquezas, achando que isso lhe traria a felicidade por si. A pergunta que Jesus faz: “E as coisas que você preparou, para quem vão ficar?” (v. 20), levanta a pergunta fundamental que todos nós temos que responder: qual é o sentido da nossa vida? O que é realmente importante? Sobre o que baseamos a nossa felicidade? Pois tudo passará - e então seria tolice fundamentar a nossa felicidade sobre algo que necessariamente vai acabar. É um convite para que achemos o alicerce firme para a nossa caminhada, para a nossa felicidade. Podemos construir as nossas vidas sobre areia - movediça, sem firmeza; ou sobre a rocha - firme e imutável. Sobre coisas efêmeras, ou sobre Deus e o seu projeto de solidariedade, fraternidade e partilha. O homem da parábola terminou a sua vida na frustração, perdeu tudo, e a sua vida acabou sem sentido. E Jesus nos adverte: “Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico para Deus!” (v. 21). A escolha é nossa!

+Tomaz Hughes SVD

Dia Mundial do Migrante - Papa Francisco convida para rezar com ele

25-09-2019 Notícias da Igreja

Foto/fonte: www.oclarim.com.mo No próximo domingo, 29 de setembro, celebra-se o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado. Para a ocasião, o Papa Francisco celebrará a Santa Missa na Praça São Pedro.  * Por Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano No Angelus do último domingo, o Papa Francisco fez um convite a todos os fiéis:  No próximo domingo, 29 de setembro, celebra-se o Dia...

Leia Mais

A Verbo Filmes divulgou o documentário sobre o processo do Sínodo para a Amazônia

23-09-2019 Notícias da Igreja

Foto/fonte: Internet A Verbo Filmes divulgou no último fim de semana o documentário “Sínodo para a Amazônia – convocação, processos e expectativas”, sobre a Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos convocada pelo Papa Francisco para o período de 6 a 27 de outubro próximo. Em entrevista ao Portal da CNBB, o padre Cireneu Kuhn, missionário da Congregação do Verbo Divino que...

Leia Mais

Vai acontecer o Encontro de Avaliação e Planejamento do Laicato Verbita - 29/09/2019

23-09-2019 Notícias da congregação

Os delegados que no mês de julho deste ano foram ao Congresso do Laicato Verbita em Santa Isabel no Espírito Santo, encontram-se no próximo dia 29 de setembro na Paroquia São Marcos Evangelista no Parque São Rafael em São Paulo. O encontro tem como finalidade avaliar e planejar a caminhada em 2019 na Província.  Toda a atenção está voltada para...

Leia Mais